Falando de Sementes...

Falando de Sementes...

 

... Em nossa vida, por vezes, aparecem algumas sementes que parecem pequenas e inofensivas. No entanto, produzem grandes estragos. 

 

Falamos da semente da fofoca, que instala a discórdia e pode provocar o desmoronamento de uma amizade.

 

Se for a semente do mau humor, vai estender as raízes da raiva e os galhos da irritação, que anda de braços dados com a violência.

 

O ciúme é uma pequena semente que, se alimentada pela desconfiança, irrigada pela insegurança e aquecida pelo orgulho impulsivo, faz desmoronar uma família inteira.

 

Entretanto, se aceitarmos na intimidade de nossos corações a semente da tolerância, veremos crescer a árvore da harmonia, que fará ruir os muros das separações afetivas. 

 

Se acolhermos a semente do espírito de cooperação com o próximo, esta vai dar vida à frondosa árvore da fraternidade, podendo abrigar em sua sombra, os que caminham sob o sol das necessidades variadas.

 

Se permitirmos que a seleta semente do amor entre em nosso coração, por uma pequena fresta de boa vontade, ela vai gerar tronco tão forte e galhos tão altos, que tocarão o céu, permitindo  aos anjos da concórdia, da união fraterna, da paz, descer por seus galhos e, através de cada um de nós, servir ao próximo, em nome de Deus.

 

Há sementes e sementes. Nosso coração é um só. Cabe a cada um de nós selecionar a semente que deseja permitir se torne árvore frondosa. Pensemos nisso e façamos a correta opção.

Redação do Momento Espírita, com base no cap. A noz 
e o campanário, do livro Fábulas, de Leonardo da Vinci,
 ed. Melhoramentos.
Em 12.2.2016.

 

..